Pular para o conteúdo principal

Os melhores shows que vi em 2014

Quem bem me conhece sabe que eu adoro ir a shows em geral, principalmente os de rock e dos artistas de quem sou fã. Meu primo Fábio perguntou certa vez se eu achava que "a vida era um show de rock". Como eu queria que fosse! Juntar shows e viagens (outra paixão) como descrito no meu perfil à direita é um dos meus desejos. Quem dera consultar a agenda de um artista favorito e poder pegar o primeiro avião, visitar uma cidade e ainda vê-lo ao vivo no Glastonbury, Coachella, Reading, T in the Park, no Royal Albert Hall, no Madison Square Garden, no Hyde Park? 


Lolapalloza Brasil 2014



Enquanto não posso fazer isso ou preciso programar melhor as minhas viagens para encaixar uns shows no roteiro, vou a todas apresentações que posso em São Paulo. Afinal, SP é destino certo de shows na América do Sul há muito tempo, abriga o Lollapalooza Brasil que vai para a quarta edição - considero o melhor festival realizado atualmente no país - e muitos artistas vêm pra cá em quase toda turnê mundial e estão repetindo a volta com frequência. Ainda bem! Em 2014 não foi diferente e vi várias apresentações. Em festivais, em casas de show, na Virada Cultural, alguns pela primeira vez, outros pela terceira ou até quarta vez. Foram vários momentos maravilhosos em frente ao palco e abaixo estão os melhores shows que vi em 2014.

Arcade Fire. A banda canadense voltou ao Brasil depois de nove anos como uma das principais atrações do Lollapalooza Brasil 2014. Não vi o show deles na primeira vez, então a banda estava na minha lista de desejos há tempos. A base do show foi embalada pelo lançamento do ótimo Reflektor, de 2013. O início da apresentação teve imagens do filme brasileiro Orfeu Negro mostradas no telão e Win Butler vestido como no clipe da música-título, fazendo alusão ao álbum. Músicas de Funeral, Neon Bible e The Suburbs também marcaram presença no set list que fechou o festival de forma sublime e de completa sinergia entre banda e público que já fiz parte. Primeiro grande show que vi em 2014 e detalhes do festival neste link http://radarereflexo.blogspot.com.br/2014/04/o-meu-lollapalloza-2014-no-domingo-do.html.



Queens of the Stone Age. Terceiro show que vi dos amados californianos do deserto. O melhor dos três! Explico. Show só deles, fora de festivais e para os seus fãs; dentro da turnê do excelente Like Clockwork lançado em junho de 2013; a banda em seu melhor momento da carreira e no dia do meu aniversário. Em vez de balada, a melhor coisa para quem gosta tanto de música como eu é poder ver ao vivo uma banda que admiro em qualquer momento, mas se tornou ainda mais especial na chegada do meu "ano novo". Ressalto que os outros shows do QOTSA foram ótimos, mas sempre limitados em uma hora de duração, já que não eram a atração principal, enquanto o mais recente durou quase duas horas pelos motivos acima e foi composto por todas as fases da carreira da banda com atenção especial ao disco de 2013 – algo que admiro muito quando se tem um belo disco lançado há pouco tempo e a coragem de tocar muitas músicas desse trabalho - que teve oito faixas no set list. Som alto, sexy, pesado e uma banda coesa e integrada com a plateia. Detalhes sobre este show inesquecível e que está no top 5 da minha vida aqui http://radarereflexo.blogspot.com.br/2014/09/alto-pesado-e-perfeito.html.



Savages. Estreia no Brasil desse quarteto londrino que tem apenas um disco lançado, o ótimo Silence Yourself de 2013, influenciado pelo pós-punk, mas com total personalidade. A apresentação foi no Lollapalooza, num domingo de sol escaldante com as quatro integrantes vestidas de preto e desfilando as faixas do único álbum mais a inédita Fuckers, com presença de palco impressionante em uma hora de apresentação.



Paul McCartney. Show do responsável por eu gostar tanto de música e que fez parte da minha banda favorita. Quase três horas de uma parte da história do rock. Músicas dos Beatles e da carreira solo, carisma absurdo, espetáculo para lavar a alma e perfeito para fechar mais um ano de shows. Mais detalhes deste show aqui http://radarereflexo.blogspot.com.br/2014/11/espetaculo-de-musica-empatia-e.html


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Londres em 5 músicas

Grandes capitais mundiais recebem homenagens em canções. Nova Iorque foi tema de inúmeras músicas, mas New York, New York, imortalizada na voz de Frank Sinatra, é a canção definitiva da Big Apple, cantada por nova-iorquinos e estrangeiros, inclusive na virada de ano na Times Square.  
Berço de vários artistas - do punk, do progressivo ou do eletrônico, capital mundial do pop - Londres também é homenageada em diversas músicas. Ao contrário de Nova Iorque, talvez, não tenha uma canção que a defina, que seja a mais famosa e que possa ter, ao menos, um verso cantado por qualquer pessoa mundo afora. E muitos artistas lendários do rock e do pop dedicaram um pedaço de suas obras à capital britânica ou, como diz o poeta, cidade que alguém só se cansa, quando está cansado da vida. 
Como relaciono música a vários momentos, coisas e pessoas, fiz uma lista com base em minha imagem sobre a cidade do meu coração ou a lembrança mais significativa que tenho dela ao escutar essas músicas.
The Clash – Lo…

Definitivamente talvez

O título do texto é o nome do álbum de estreia do Oasis, lançado há vinte anos, em agosto de 1994.

Vi o Oasis pela primeira vez no extinto programa da TV Gazeta, Clip Trip, ao qual assistia sempre para acompanhar os meus artistas favoritos.

Lembro do apresentador falando sobre o Oasis, antes de passar o vídeo de Supersonic, primeiro single do disco. Ele disse mais ou menos assim "esses caras estão fazendo barulho na Inglaterra e se dizem melhores que os Beatles. Sei não, vamos ver se é tudo isso e se o sucesso vai durar".

O comparativo com os Beatles era mais uma das polêmicas que os irmãos Noel e Liam Gallagher criaram e estenderam durante toda a carreira da banda. Na verdade, a influência mais clara e até o modo como se vestiam, remetia à banda de Liverpool. Mas jamais foram cópia dos Beatles, o que muitos odiadores costumam dizer. 

Aceitar isso é o mesmo que reduzir o talento do Oasis, um dos últimos representantes do rock, cingido em todo significado que a palavra expressa. …

Ah, o amado inverno! E homens: comprem ou tirem do armário os casacos e os cachecóis!

O inverno está aí desde o dia 21 de junho, mas deu as caras em São Paulo, de verdade, nas últimas duas semanas, com termômetros marcando a máxima entre 15 e 18 graus. 
São Paulo me agrada, pois o frio aparece nesse tempo, ao contrário de outras cidades do país, onde inexiste inverno, mas aqui é possível apreciar o vento, a temperatura baixa, as comidas e os doces que ficam mais saborosos nessa época, do que em qualquer outra. 
Além disso, podemos ficar mais estilosos. Botas, de cano curto ou longo, casacos de várias cores, cachecóis e echarpes de variadas estampas. 
Mulheres adoram se vestir assim, mas também há homens que abrem o guarda-roupa e ficam ainda mais charmosos com sobretudos e cachecóis. Vou fazer um pedido! Rapazes, não deixem de usar a dupla, casaco e cachecol em contados dias de junho/julho invernal. Eu, pelo menos, aprecio muito! Vocês ficam tão maravilhosos!
Certa vez, numa época dessas, estava com algumas colegas de trabalho saindo para o almoço e um homem super chique e…