Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2014

QOTSA: Alto, pesado e perfeito!

O Queens of the Stone Age, californianos do deserto, tocaram pela quarta vez no Brasil, nesta quinta-feira (25/09). O show de ontem faz parte da turnê do excelente ...Like Clockwork, lançado em 2013. 

A diferença para os outros shows da banda em solo nacional é que o de ontem foi deles como atração principal e fora de festivais, um pedido antigo dos fãs.

De todos esses shows, não fui somente ao do Rock in Rio em 2001, quando a banda começava a ser conhecida do grande público. Depois desse, os vi no extinto festival SWU, em Itu. O show foi muito bom, mas era a primeira apresentação dos caras depois da estreia no Brasil e o tempo da apresentação foi reduzido por problemas de som, que impediram a banda de tocar por mais tempo.

Depois veio o show no Lollapalloza 2013. Mais um festival! Repito os shows dos artistas favoritos, mesmo em festivais, quando eles são muito bons em cima do palco e o Queens faz um showzaço e só melhora com o tempo. Eles ainda lançariam ...Like Clockwork, mas estre…

Minha lista de canções de amor

Estava arrumando a minha biblioteca e me deparei com o livro Alta Fidelidade, do Nick Hornby, famosa obra em que a personagem faz listas sobre diversos fatos de sua vida, quase todas embaladas com a trilha sonora perfeita para cada situação. 

Inspirada em Nicky Hornby, por eu gostar de listas e estar ouvindo Suede no momento, decidi listar as canções mais belas de amor. Sem ordem de preferência e atenta às músicas que falam do amor na mais plena realização, de forma sublime e que aquieta, sem cobranças e egoísmo, porque ali está sereno e tranquilo. Por este motivo, canções de amor dolorosas, porém, igualmente lindas, estarão de fora e podem entrar em outra lista que eu vier a fazer. 

The Wild Ones - Suede. A banda londrina mais falada neste blog. Inclusive, com destaque para The Wild Ones, quando falei sobre o álbum Dog Man Star. Considero esta música não apenas a melhor balada do britpop, mas uma belíssima canção de amor. Eu até caso com o homem que cantar esta música para mim, de pref…

SP em imagens!

Apesar do adjetivo "selva de pedra", São Paulo tem espaços verdes e a primavera está surgindo colorida e estonteante em pleno inverno. Procuro contemplar esses espaços quando eles estão em meu caminho, até pelo fato de ter um parque perto de casa. Acredito que todos deveriam fazer o mesmo, ao invés de apenas reclamar e dizer que nada é belo numa cidade como SP e arranjar um tempinho para apreciar a natureza e não apenas "correr" por aí e dizer que não tem tempo para nada, sequer olhar ao redor. 

Abaixo, imagens que captei nas ultimas três semanas. O sol, em várias delas, é o meu preferido, quando apenas clareia o dia e faz frio; em outras, ele estava forte mesmo, com temperatura acima de trinta graus! E tem Paulista nesse meio, claro! Minha avenida preferida em SP e, com certeza, estará entre as (avenidas) favoritas que ainda conhecerei neste mundo. 











Domingo de esportes

A provável seleção imbatível em um esporte, a seleção norte-americana de basquete masculino, foi campeão da Copa do Mundo da Espanha, neste domingo. Depois do futebol e da ginástica artística, o basquete é o esporte que mais me agrada, sobretudo jogado pelos craques da NBA, que acompanho sempre. Só pra constar que a seleção estava sem Lebron James "The King", Chris Paul e Carmelo Anthony, para citar alguns.
O mais admirável é que entram para jogar o que sabem (MUITO) e o fazem como ninguém (SEMPRE), mesmo sendo favoritos em todas as partidas, quando poderiam "aliviar" um pouco e tornar a partida menos difícil para o adversário. Mas não! Jogam o melhor sempre, com respeito e vontade e comemoram como deve ser, dando a importância devida ao título conquistado, ainda que seja mais um na lista interminável e que fosse previsto desde o início. A conquista certa garante a vinda às Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.
E no futebol, o meu Tricolor Paulista venceu o Cruzeiro…

Discos perfeitos parte II

Mais uma lista de discos perfeitos para mim, com todas as faixas indispensáveis. Vou começar essa lista com a banda que terminou a primeira.
Dog Man Star - Suede. Considerada a obra-prima do grupo e lançado há quase vinte anos (outubro de 1994), o segundo disco supera a ótima estreia com faixas mais experimentais, densas e com arranjos orquestrados. A complexidade do álbum não agradou muito o público e, talvez, tenha sido o motivo para o Suede não ter alcançado o mesmo patamar de sucesso de Oasis e Blur, duas bandas do movimento Britpop, que disputavam a coroa do rock britânico no início dos anos 90.
Dog Man Star não é considerado apenas o melhor do Suede, mas também um dos melhores álbuns da história e presença constante na lista dos "discos que devemos ouvir antes de morrer". As faixas mostram a ousadia da banda, com o vocalista Brett Anderson - um dos melhores cantores/frontman de sua geração - em perfeita execução vocal, alternando graves e agudos, algo que me agrada muito…

E como vai o esporte brasileiro?

Belas vitórias aconteceram no esporte brasileiro nas últimas semanas.
O surfista Gabriel Medina foi campeão na etapa de Teahupoo no Taiti, batendo Kelly Slater, o maior surfista da história. Ele tem apenas 20 anos e é um dos grandes nomes do surf brasileiro. Acompanho o Medina há um tempo, no canal a cabo Off, em que estrela o programa Mundo Medina e nos mostra a preparação para os campeonatos, desde a sua alimentação e treinos físicos, como também explora o local onde vai surfar. 
Aliás, para quem gosta de esportes radicais, o canal Off dedica a programação ao surf, esqui, skate, caiaque, motocross etc. A maior parte deles embalados com uma excelente trilha sonora, quando não se trata de competições, mas de documentários ou programas especiais.
No esporte coletivo, o vôlei feminino conquistou pela décima vez o Grand Prix. Acredito que o vôlei tenha proporcionado o maior número de vitórias de um esporte coletivo do Brasil. Lembro que a vitória olímpica das meninas há dois anos, nas Olimp…

Discos perfeitos

Conversando com amigos sobre música, uma delas indagou "qual o disco perfeito para vocês? E discutimos se o perfeito seria o disco que entendemos como o melhor de um artista /banda, mesmo não gostando de TODAS as músicas, ou aquele que gostamos de ouvir da primeira à última música e, não necessariamente é o melhor, mas apenas gostamos de TODAS. 

Para a minha abordagem, vou falar sobre os discos que me agradam do início ao fim e que considero todas as músicas muito boas, sem exceção, mesmo não sendo o melhor do artista/banda. Vários são considerados os melhores por mim e por listas do tipo "discos para ouvir antes de morrer" ou não estarão em nenhuma lista.

Não vou enumerar, por ordem de preferência, mas apenas citar os discos que me incapacitam de não ouvir uma música sequer. Serão cinco agora e depois falarei sobre outros, pois preciso conferir para não esquecer nenhuma "obra perfeita". E vou mencionar as músicas que me fazem apertar o repeat de cada disco, em…