Pular para o conteúdo principal

O maior sucesso da Copa: o álbum de figurinhas


Enquanto ainda ocorrem manifestações nas ruas que demonstram a insatisfação com a Copa, e tímidos lampejos de alegria do brasileiro são vistos nas raras pinturas de ruas e nas bandeirinhas penduradas nos prédios e nos automóveis, o álbum de figurinhas da Copa, da italiana Panini é, sem dúvida, o maior sucesso do Mundial.

Nada abalou o sucesso do álbum em meio a tanta discórdia e ausência de apoio ao evento esportivo mais importante do planeta.

Em relação ao evento, acredito que qualquer manifestação contrária, deveria ter sido feita assim que o Brasil foi eleito como sede. Lembro que no dia da escolha, em outubro de 2007, comentei com a minha família que não tinha ficado feliz em sediar o evento, justamente pela falta de estrutura que temos em diversos setores (segurança e transportes, principalmente), somada à complexidade que um evento desse porte requer, além do custo destinado e do esperado superfaturamento que ocorre não só no Brasil, mas em diversos países. Em relação à Copa do Mundo de Futebol, há suspeitas de suborno do Catar para sediar o evento em 2022 e o comentado superfaturamento da Copa da Rússia em 2018, que já é maior do que o Brasil. Por trás de tudo isso, a Fifa, que é umas das entidades mais corruptas do mundo.

Ademais, acredito que as manifestações que ocorrem no país, desde junho de 2013, são ótimas, devem ser realizadas e nunca vi nada igual. Espero que o povo tenha acordado, cobre por melhorias e também deixe de fazer uso do "jeitinho brasileiro" que contribui muito para a corrupção que existe. Contudo, muitas reivindicações são confusas, na medida em que eventuais melhorias em educação, segurança e saúde, não estão mais atrasadas ou jamais deixarão de ser ou serão realizadas por causa da Copa do Brasil, que é apenas um ponto e escoamento de corrupção que, infelizmente, sempre existiu no mundo e em nosso país e, tampouco, teve início há oito anos, como se antes fôssemos uma Suécia!


Mas a Copa está aí e o pontapé oficial será a menos de duas semanas, no dia 12/06/2014, na Arena Corinthians em São Paulo. Torço para que o público (brasileiros e estrangeiros) dentro dos estádios e fora deles receba o melhor tratamento possível em todos os cantos do país. Torça quem quiser! Sempre houve pessoas que não ligam para o esporte e para a Copa e viajam para outros lugares, independente de o evento ser aqui. E quem quer torcer, deve ser respeitado também, porque o esporte não tem a ver com os males causados. Eu assisto por gostar muito de futebol e quero ver os grandes campeões se destacando para que haja o melhor espetáculo. 

Voltando ao álbum de figurinhas da Copa, mesmo quem não apoia o evento ou não entende ou não assiste futebol, entra no clima de colar as figurinhas. A minha família coleciona o álbum desde a Copa de 1998. Gostamos muito de futebol e acompanhamos os campeonatos europeus, além do Brasileiro e da Taça Libertadores da América. Eu, inclusive! Não vou à nenhum jogo, mas irei assistir pela tv ao máximo de partidas que puder, não só do Brasil. 

Chegando perto da Copa, os álbuns dos colecionadores estão completos ou quase e a troca de figurinhas se torna uma brincadeira não só de criança, mas de adultos e idosos, homens e mulheres, meninos e meninas, que buscam as últimas figurinhas dos craques da bola.

Diante do sucesso, é possível encontrar inúmeras pessoas nas praças de bairros, na praça de alimentação ou na sala de aula das faculdades fazendo a troca das figurinhas. E os shopping centers entraram na onda e estão cedendo os seus espaços para os colecionadores completarem o álbum nos finais de semana. 

Como estamos com o álbum quase completo, eu e meu pai fomos a um shopping próximo de casa para trocar figurinhas. A "reunião de colecionadores" começa às 14h e segue até às 20h. Chegamos no domingo, pouco antes das 14h e seguimos para o local indicado. Mesas foram montadas. Em minutos, todas foram ocupadas por pais, netos, primos, filhos, para que a troca fosse feita.



Interessante observar o fenômeno das figurinhas. Diversas gerações se juntam e se empolgam, independente do conhecimento que têm do esporte ou do apoio total ou das críticas feitas ao evento que será realizado em nosso país. 

Trocamos figurinhas por quase duas horas e agora faltam apenas cinco para completar o álbum da Copa de 2014. E quem quiser completar o álbum, pode ir aos shopping centers no próximo final de semana e encontrar diversos colecionadores para trocar figurinhas. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Londres em 5 músicas

Grandes capitais mundiais recebem homenagens em canções. Nova Iorque foi tema de inúmeras músicas, mas New York, New York, imortalizada na voz de Frank Sinatra, é a canção definitiva da Big Apple, cantada por nova-iorquinos e estrangeiros, inclusive na virada de ano na Times Square.  
Berço de vários artistas - do punk, do progressivo ou do eletrônico, capital mundial do pop - Londres também é homenageada em diversas músicas. Ao contrário de Nova Iorque, talvez, não tenha uma canção que a defina, que seja a mais famosa e que possa ter, ao menos, um verso cantado por qualquer pessoa mundo afora. E muitos artistas lendários do rock e do pop dedicaram um pedaço de suas obras à capital britânica ou, como diz o poeta, cidade que alguém só se cansa, quando está cansado da vida. 
Como relaciono música a vários momentos, coisas e pessoas, fiz uma lista com base em minha imagem sobre a cidade do meu coração ou a lembrança mais significativa que tenho dela ao escutar essas músicas.
The Clash – Lo…

Definitivamente talvez

O título do texto é o nome do álbum de estreia do Oasis, lançado há vinte anos, em agosto de 1994.

Vi o Oasis pela primeira vez no extinto programa da TV Gazeta, Clip Trip, ao qual assistia sempre para acompanhar os meus artistas favoritos.

Lembro do apresentador falando sobre o Oasis, antes de passar o vídeo de Supersonic, primeiro single do disco. Ele disse mais ou menos assim "esses caras estão fazendo barulho na Inglaterra e se dizem melhores que os Beatles. Sei não, vamos ver se é tudo isso e se o sucesso vai durar".

O comparativo com os Beatles era mais uma das polêmicas que os irmãos Noel e Liam Gallagher criaram e estenderam durante toda a carreira da banda. Na verdade, a influência mais clara e até o modo como se vestiam, remetia à banda de Liverpool. Mas jamais foram cópia dos Beatles, o que muitos odiadores costumam dizer. 

Aceitar isso é o mesmo que reduzir o talento do Oasis, um dos últimos representantes do rock, cingido em todo significado que a palavra expressa. …

Ah, o amado inverno! E homens: comprem ou tirem do armário os casacos e os cachecóis!

O inverno está aí desde o dia 21 de junho, mas deu as caras em São Paulo, de verdade, nas últimas duas semanas, com termômetros marcando a máxima entre 15 e 18 graus. 
São Paulo me agrada, pois o frio aparece nesse tempo, ao contrário de outras cidades do país, onde inexiste inverno, mas aqui é possível apreciar o vento, a temperatura baixa, as comidas e os doces que ficam mais saborosos nessa época, do que em qualquer outra. 
Além disso, podemos ficar mais estilosos. Botas, de cano curto ou longo, casacos de várias cores, cachecóis e echarpes de variadas estampas. 
Mulheres adoram se vestir assim, mas também há homens que abrem o guarda-roupa e ficam ainda mais charmosos com sobretudos e cachecóis. Vou fazer um pedido! Rapazes, não deixem de usar a dupla, casaco e cachecol em contados dias de junho/julho invernal. Eu, pelo menos, aprecio muito! Vocês ficam tão maravilhosos!
Certa vez, numa época dessas, estava com algumas colegas de trabalho saindo para o almoço e um homem super chique e…