Pular para o conteúdo principal

Mais uma Copa do Mundo de Futebol vai começar

Eu amo futebol! Considero o esporte mais apaixonante e incrível! Nasci em ano de Copa do Mundo, 1982! Meu pai conta histórias dessa Copa e acredito que todo mundo já ouviu falar dela como a copa perdida e mais sentida pelo Brasil.

Depois dela, vieram a de 1986 e a de 1990. Ainda não ligava para o esporte e, mesmo com oito anos em 90, não me interessei, pois não "ligava" para nenhum esporte.

Comecei a acompanhar futebol entre 1990 e 1994. Nesse período, o meu Tricolor Paulista se tornava campeão das Américas e do Mundo. Na Copa de 1994, torci pela seleção brasileira e chorei desesperada e de emoção na disputa de pênaltis contra a Itália, na qual o Brasil venceu.

A partir daí, me interessei mais pelo esporte e por saber mais das outros times do mundo e das outras seleções. Não torço mais pelo Brasil como já torci. Se ganhar, tudo bem. Se perder, bem também. Não acredito que alguém seja mais ou menos patriota por torcer pela seleção que representa o seu país. E como gosto muito de futebol, torço para que o Brasil e as demais campeãs do mundo e seleções que têm se destacado nos últimos anos ou que tenha jogadores fantásticos, como Cristiano Ronaldo, avancem na Copa.

Mas foi em 2006 que acompanhei uma Copa com mais dedicação e foi em 2010 que eu assisti praticamente a todos os jogos, porque estava de férias. Na Copa da África do Sul não apenas assisti aos jogos, como acompanhava as chamadas "mesas redonda" dedicadas à Copa. Esse hábito tem a ver com a relação do meu irmão com o esporte. Ele sempre acompanhou o futebol mundial e brasileiro e os canais de esporte.

Depois dos jogos, eu queria ver os lances mais importantes das partidas, os comentários dos jornalistas e, desde lá, vejo esses programas, mesmo quando não é época de Copa do Mundo e arrisco dizer que eu entendo um pouquinho de futebol, como qualquer homem e, às vezes, mais até. Essa frase é um certo protesto contra o machismo que impera no futebol e o espanto, seguido de reação positiva de alguns homens, quando eu cito nomes de jogadores e dou opiniões sobre jogos.

O clima de Copa chegou devagar, em razão dos protestos ocorridos desde junho de 2013. Poucas ruas foram pintadas e decoradas em SP e no Brasil. Nos últimos dias, um leve aumento de apoio foi visto em bandeiras penduradas nos carros e nas fachadas dos prédios. Estrangeiros de vários cantos do mundo estão chegando. Aqui, o número de croatas - primeiro adversário do Brasil - é grande, assim como os demais povos que tomam a Paulista e outros pontos da cidade celebrando o futebol. Várias seleções, como Alemanha, Holanda e México, estão dando um show de simpatia e tenho certeza que jamais esquecerão o que já viram aqui. Acho esse clima incrível!

Deixo claro que refiro-me apenas ao esporte, porque jamais desprezo qualquer manifestação, várias delas são legítimas e espero que sejam realizadas cada vez mais, porém, o desejo de vir um jogo ou torcer pela seleção, não pode ser confundido com desinteresse por melhorias do país, que devem ser cobradas sempre, além do que os gastos absurdos com o Mundial deviam ter sido cobrados desde quando fomos anunciados como sede do evento,. Sem contar que os problemas do país não foram causados ou serão maiores pela realização do Mundial.

Dentro de campo, espero que todos os jogadores façam as melhores partidas, marquem muitos gols e batam recordes. Que as torcidas de cada seleção mostrem o amor pelo futebol, entoando seus cantos, gritos de guerra e saibam encarar uma possível derrota sem brigas. Eu vou assistir pela TV, pois tentei comprar ingressos pelo site da Fifa, mas não fui sorteada para nenhum jogo.

Daqui a poucas horas, mais uma Copa terá início e, pela segunda vez, será no Brasil! Escrevo no início da madrugada de quinta-feira, dia 12/06/2014, e tenho a sensação de que é final de semana ou véspera de feriado - de fato é, pelo menos em SP - conforme decretado.

O pontapé inicial está prestes a ser dado na minha cidade e a bola vai rolar! Que o espetáculo aconteça dentro e fora de campo, não só aqui, mas em todo Brasil!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Londres em 5 músicas

Grandes capitais mundiais recebem homenagens em canções. Nova Iorque foi tema de inúmeras músicas, mas New York, New York, imortalizada na voz de Frank Sinatra, é a canção definitiva da Big Apple, cantada por nova-iorquinos e estrangeiros, inclusive na virada de ano na Times Square.  
Berço de vários artistas - do punk, do progressivo ou do eletrônico, capital mundial do pop - Londres também é homenageada em diversas músicas. Ao contrário de Nova Iorque, talvez, não tenha uma canção que a defina, que seja a mais famosa e que possa ter, ao menos, um verso cantado por qualquer pessoa mundo afora. E muitos artistas lendários do rock e do pop dedicaram um pedaço de suas obras à capital britânica ou, como diz o poeta, cidade que alguém só se cansa, quando está cansado da vida. 
Como relaciono música a vários momentos, coisas e pessoas, fiz uma lista com base em minha imagem sobre a cidade do meu coração ou a lembrança mais significativa que tenho dela ao escutar essas músicas.
The Clash – Lo…

Definitivamente talvez

O título do texto é o nome do álbum de estreia do Oasis, lançado há vinte anos, em agosto de 1994.

Vi o Oasis pela primeira vez no extinto programa da TV Gazeta, Clip Trip, ao qual assistia sempre para acompanhar os meus artistas favoritos.

Lembro do apresentador falando sobre o Oasis, antes de passar o vídeo de Supersonic, primeiro single do disco. Ele disse mais ou menos assim "esses caras estão fazendo barulho na Inglaterra e se dizem melhores que os Beatles. Sei não, vamos ver se é tudo isso e se o sucesso vai durar".

O comparativo com os Beatles era mais uma das polêmicas que os irmãos Noel e Liam Gallagher criaram e estenderam durante toda a carreira da banda. Na verdade, a influência mais clara e até o modo como se vestiam, remetia à banda de Liverpool. Mas jamais foram cópia dos Beatles, o que muitos odiadores costumam dizer. 

Aceitar isso é o mesmo que reduzir o talento do Oasis, um dos últimos representantes do rock, cingido em todo significado que a palavra expressa. …

Ah, o amado inverno! E homens: comprem ou tirem do armário os casacos e os cachecóis!

O inverno está aí desde o dia 21 de junho, mas deu as caras em São Paulo, de verdade, nas últimas duas semanas, com termômetros marcando a máxima entre 15 e 18 graus. 
São Paulo me agrada, pois o frio aparece nesse tempo, ao contrário de outras cidades do país, onde inexiste inverno, mas aqui é possível apreciar o vento, a temperatura baixa, as comidas e os doces que ficam mais saborosos nessa época, do que em qualquer outra. 
Além disso, podemos ficar mais estilosos. Botas, de cano curto ou longo, casacos de várias cores, cachecóis e echarpes de variadas estampas. 
Mulheres adoram se vestir assim, mas também há homens que abrem o guarda-roupa e ficam ainda mais charmosos com sobretudos e cachecóis. Vou fazer um pedido! Rapazes, não deixem de usar a dupla, casaco e cachecol em contados dias de junho/julho invernal. Eu, pelo menos, aprecio muito! Vocês ficam tão maravilhosos!
Certa vez, numa época dessas, estava com algumas colegas de trabalho saindo para o almoço e um homem super chique e…