segunda-feira, 16 de junho de 2014

Já se foram quatro dias de Copa e tem muito mais pela frente

A Copa do Brasil começou na quinta-feira, dia 12/06. O Brasil estreou com vitória, com ajuda do árbitro que deu um pênalti inexistente em favor da seleção, que passou pelo adversário mais difícil do grupo, a Croácia. 

Um dos momentos mais emocionantes ocorreu antes da partida. A execução do hino nacional, cantado a capela pela torcida e pelos jogadores. Quem estava em casa se emocionou com certeza, como eu. 



A mesma torcida, porém, puxou um coro desrespeitoso contra a presidente. Não vou tecer comentários a respeito, pois muito já se falou e quem acha a atitude louvável, deveria repensar o que é educação. Nem se estivesse no poder quando da escolha do Brasil para sediar o Mundial, a presidente deveria receber as vaias, como qualquer outro governante. 

Voltando ao futebol, assisti à muitos jogos que foram ótimos, com média de gols excelente, principalmente, pelos artilheiros e considerados os melhores de cada seleção. 

Neymar, Van Persie, Robben, Benzema, Thomas Muller e Messi anotaram os seus gols. Torço para que continuem balançando as redes para a alegria dos amantes do futebol.

Daqui a pouco, Alemanha e Portugal estreiam. Que a estrela do melhor do mundo, Cristiano Ronaldo, brilhe e, do lado alemão, espero sejam marcados gols pelos jogadores que compõem a melhor seleção da Copa, em minha opinião. 

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Mais uma Copa do Mundo de Futebol vai começar

Eu amo futebol! Considero o esporte mais apaixonante e incrível! Nasci em ano de Copa do Mundo, 1982! Meu pai conta histórias dessa Copa e acredito que todo mundo já ouviu falar dela como a copa perdida e mais sentida pelo Brasil.

Depois dela, vieram a de 1986 e a de 1990. Ainda não ligava para o esporte e, mesmo com oito anos em 90, não me interessei, pois não "ligava" para nenhum esporte.

Comecei a acompanhar futebol entre 1990 e 1994. Nesse período, o meu Tricolor Paulista se tornava campeão das Américas e do Mundo. Na Copa de 1994, torci pela seleção brasileira e chorei desesperada e de emoção na disputa de pênaltis contra a Itália, na qual o Brasil venceu.

A partir daí, me interessei mais pelo esporte e por saber mais das outros times do mundo e das outras seleções. Não torço mais pelo Brasil como já torci. Se ganhar, tudo bem. Se perder, bem também. Não acredito que alguém seja mais ou menos patriota por torcer pela seleção que representa o seu país. E como gosto muito de futebol, torço para que o Brasil e as demais campeãs do mundo e seleções que têm se destacado nos últimos anos ou que tenha jogadores fantásticos, como Cristiano Ronaldo, avancem na Copa.

Mas foi em 2006 que acompanhei uma Copa com mais dedicação e foi em 2010 que eu assisti praticamente a todos os jogos, porque estava de férias. Na Copa da África do Sul não apenas assisti aos jogos, como acompanhava as chamadas "mesas redonda" dedicadas à Copa. Esse hábito tem a ver com a relação do meu irmão com o esporte. Ele sempre acompanhou o futebol mundial e brasileiro e os canais de esporte.

Depois dos jogos, eu queria ver os lances mais importantes das partidas, os comentários dos jornalistas e, desde lá, vejo esses programas, mesmo quando não é época de Copa do Mundo e arrisco dizer que eu entendo um pouquinho de futebol, como qualquer homem e, às vezes, mais até. Essa frase é um certo protesto contra o machismo que impera no futebol e o espanto, seguido de reação positiva de alguns homens, quando eu cito nomes de jogadores e dou opiniões sobre jogos.

O clima de Copa chegou devagar, em razão dos protestos ocorridos desde junho de 2013. Poucas ruas foram pintadas e decoradas em SP e no Brasil. Nos últimos dias, um leve aumento de apoio foi visto em bandeiras penduradas nos carros e nas fachadas dos prédios. Estrangeiros de vários cantos do mundo estão chegando. Aqui, o número de croatas - primeiro adversário do Brasil - é grande, assim como os demais povos que tomam a Paulista e outros pontos da cidade celebrando o futebol. Várias seleções, como Alemanha, Holanda e México, estão dando um show de simpatia e tenho certeza que jamais esquecerão o que já viram aqui. Acho esse clima incrível!

Deixo claro que refiro-me apenas ao esporte, porque jamais desprezo qualquer manifestação, várias delas são legítimas e espero que sejam realizadas cada vez mais, porém, o desejo de vir um jogo ou torcer pela seleção, não pode ser confundido com desinteresse por melhorias do país, que devem ser cobradas sempre, além do que os gastos absurdos com o Mundial deviam ter sido cobrados desde quando fomos anunciados como sede do evento,. Sem contar que os problemas do país não foram causados ou serão maiores pela realização do Mundial.

Dentro de campo, espero que todos os jogadores façam as melhores partidas, marquem muitos gols e batam recordes. Que as torcidas de cada seleção mostrem o amor pelo futebol, entoando seus cantos, gritos de guerra e saibam encarar uma possível derrota sem brigas. Eu vou assistir pela TV, pois tentei comprar ingressos pelo site da Fifa, mas não fui sorteada para nenhum jogo.

Daqui a poucas horas, mais uma Copa terá início e, pela segunda vez, será no Brasil! Escrevo no início da madrugada de quinta-feira, dia 12/06/2014, e tenho a sensação de que é final de semana ou véspera de feriado - de fato é, pelo menos em SP - conforme decretado.

O pontapé inicial está prestes a ser dado na minha cidade e a bola vai rolar! Que o espetáculo aconteça dentro e fora de campo, não só aqui, mas em todo Brasil!

quarta-feira, 11 de junho de 2014

São Paulo em imagens

Adoro tirar fotos e fotografar São Paulo. Abaixo, fotos tiradas nos últimos dias e no mês passado. 

Grafite em banca de jornal da Praça da República

Estação da Luz e porta de entrada do Museu da Língua Portuguesa
Paulista!
Cisne no lago do Ibira

Mais grafite na Praça da República
Estação da Luz em noite de Virada Cultural
Ibira

terça-feira, 3 de junho de 2014

O maior sucesso da Copa: o álbum de figurinhas


Enquanto ainda ocorrem manifestações nas ruas que demonstram a insatisfação com a Copa, e tímidos lampejos de alegria do brasileiro são vistos nas raras pinturas de ruas e nas bandeirinhas penduradas nos prédios e nos automóveis, o álbum de figurinhas da Copa, da italiana Panini é, sem dúvida, o maior sucesso do Mundial.

Nada abalou o sucesso do álbum em meio a tanta discórdia e ausência de apoio ao evento esportivo mais importante do planeta.

Em relação ao evento, acredito que qualquer manifestação contrária, deveria ter sido feita assim que o Brasil foi eleito como sede. Lembro que no dia da escolha, em outubro de 2007, comentei com a minha família que não tinha ficado feliz em sediar o evento, justamente pela falta de estrutura que temos em diversos setores (segurança e transportes, principalmente), somada à complexidade que um evento desse porte requer, além do custo destinado e do esperado superfaturamento que ocorre não só no Brasil, mas em diversos países. Em relação à Copa do Mundo de Futebol, há suspeitas de suborno do Catar para sediar o evento em 2022 e o comentado superfaturamento da Copa da Rússia em 2018, que já é maior do que o Brasil. Por trás de tudo isso, a Fifa, que é umas das entidades mais corruptas do mundo.

Ademais, acredito que as manifestações que ocorrem no país, desde junho de 2013, são ótimas, devem ser realizadas e nunca vi nada igual. Espero que o povo tenha acordado, cobre por melhorias e também deixe de fazer uso do "jeitinho brasileiro" que contribui muito para a corrupção que existe. Contudo, muitas reivindicações são confusas, na medida em que eventuais melhorias em educação, segurança e saúde, não estão mais atrasadas ou jamais deixarão de ser ou serão realizadas por causa da Copa do Brasil, que é apenas um ponto e escoamento de corrupção que, infelizmente, sempre existiu no mundo e em nosso país e, tampouco, teve início há oito anos, como se antes fôssemos uma Suécia!


Mas a Copa está aí e o pontapé oficial será a menos de duas semanas, no dia 12/06/2014, na Arena Corinthians em São Paulo. Torço para que o público (brasileiros e estrangeiros) dentro dos estádios e fora deles receba o melhor tratamento possível em todos os cantos do país. Torça quem quiser! Sempre houve pessoas que não ligam para o esporte e para a Copa e viajam para outros lugares, independente de o evento ser aqui. E quem quer torcer, deve ser respeitado também, porque o esporte não tem a ver com os males causados. Eu assisto por gostar muito de futebol e quero ver os grandes campeões se destacando para que haja o melhor espetáculo. 

Voltando ao álbum de figurinhas da Copa, mesmo quem não apoia o evento ou não entende ou não assiste futebol, entra no clima de colar as figurinhas. A minha família coleciona o álbum desde a Copa de 1998. Gostamos muito de futebol e acompanhamos os campeonatos europeus, além do Brasileiro e da Taça Libertadores da América. Eu, inclusive! Não vou à nenhum jogo, mas irei assistir pela tv ao máximo de partidas que puder, não só do Brasil. 

Chegando perto da Copa, os álbuns dos colecionadores estão completos ou quase e a troca de figurinhas se torna uma brincadeira não só de criança, mas de adultos e idosos, homens e mulheres, meninos e meninas, que buscam as últimas figurinhas dos craques da bola.

Diante do sucesso, é possível encontrar inúmeras pessoas nas praças de bairros, na praça de alimentação ou na sala de aula das faculdades fazendo a troca das figurinhas. E os shopping centers entraram na onda e estão cedendo os seus espaços para os colecionadores completarem o álbum nos finais de semana. 

Como estamos com o álbum quase completo, eu e meu pai fomos a um shopping próximo de casa para trocar figurinhas. A "reunião de colecionadores" começa às 14h e segue até às 20h. Chegamos no domingo, pouco antes das 14h e seguimos para o local indicado. Mesas foram montadas. Em minutos, todas foram ocupadas por pais, netos, primos, filhos, para que a troca fosse feita.



Interessante observar o fenômeno das figurinhas. Diversas gerações se juntam e se empolgam, independente do conhecimento que têm do esporte ou do apoio total ou das críticas feitas ao evento que será realizado em nosso país. 

Trocamos figurinhas por quase duas horas e agora faltam apenas cinco para completar o álbum da Copa de 2014. E quem quiser completar o álbum, pode ir aos shopping centers no próximo final de semana e encontrar diversos colecionadores para trocar figurinhas.