Pular para o conteúdo principal

OS CAMPEÕES DO MUNDO NA COPA DO BRASIL

As eliminatórias da Copa de 2014 chegaram ao fim, com a definição das trinta e duas seleções que desembarcam no Brasil para a disputa do evento esportivo mais assistido do planeta.

As últimas vagas foram decididas no dia 20 de novembro de 2013, com a classificação de México e Uruguai na repescagem. A classificação uruguaia garantiu ao mundo assistir os oito campeões mundiais disputando a taça em 2014.

Uma Copa do Mundo com todas as seleções que se sagraram campeãs, é especial para o amante do futebol. Primeiro, pela tradição desses países no esporte e pelo número de craques que fizeram partidas memoráveis na história das copas. Em segundo lugar, pela técnica futebolística de que carecem países inexpressivos no esporte ou de campanhas irregulares, sem triunfo para o alcance da elite do futebol.

Após a classificação do Uruguai, a Puma, patrocinadora oficial, criou uma campanha publicitária inspirada no famoso Maracanazo, ocasião em que os uruguaios venceram o Brasil na final da Copa de 1950, no Maracanã. No comercial, um fantasma coberto de azul celeste, cor do uniforme do time, e com o número cinquenta estampado nas costas, percorre as ruas do Rio de Janeiro assustando os brasileiros e sobrevoa a capital carioca no bondinho, samba na Apoteose e sobe o morro, até chegar ao Maracanã. No final da propaganda a seguinte frase: “o fantasma de 50 já está no Brasil”.


Só que o fantasma da celeste não é assustador como foi um dia e a difícil passagem pelas Eliminatórias pode prejudicar o sonho uruguaio. Será necessário reformular o time para repetir o feito obtido em 2010, quando alcançou a semifinal da competição e ficou com o quarto lugar.

Campeã em 1998 contra o Brasil, a França é mais uma seleção classificada para a Copa de 2014. Como o Uruguai, garantiu a vaga apenas na repescagem, tendo que reverter derrota de dois a zero para a Ucrânia.

Depois de uma participação vergonhosa com a eliminação na primeira fase da Copa da África do Sul, os bleus tentam se estabilizar para chegar ao Brasil como um dos favoritos, por serem campeões mundiais e berço de deuses do futebol como Platini e Zidane. Não será fácil, sobretudo, com olhares duvidosos e reprovativos, diante da segunda classificação obtida com gol irregular, causando a eliminação de outra seleção para disputa do Mundial.

A Argentina, eterna candidata ao título, carimbou o passaporte com mais facilidade que os uruguaios e os franceses. A estrela do time, Lionel Messi, eleito o melhor jogar do mundo por quatro vezes e um dos melhores da história e ainda é o melhor jogador em atividade. Ele encanta plateias em todo o mundo com gols espetaculares, passes perfeitos, mas tenta se livrar da fama de jogador que ainda não venceu uma Copa do Mundo e, por isso, estaria relegado à lista dos melhores de todos os tempos. A Argentina precisa de Messi e os amantes do futebol agradecem a oportunidade de assistir um dos melhores jogadores do mundo em ação.

Grande rival da França e da Argentina no campo político e levando a rivalidade para dentro de campo, a Inglaterra conquistou a vaga em jogo realizado no Estádio de Wembley contra a Polônia.

O English Team contou com boas atuações dos seus jogadores e com o talento de Waine Rooney para abrir o placar. Os últimos momentos foram decisivos, com a tentativa de empate da Polônia, que poderia igualar o placar com a habilidade de Lewandowski, que não brilhou a ponto de classificar os poloneses. A vaga direta, sem o risco de passar pela repescagem, foi definida no final do segundo tempo com um gol de Steven Gerrard. Os inventores do futebol vêm ao Brasil com um dos melhores times formados nos últimos anos e são favoritos como todos os campeões.

Certo é que as arquibancadas brasileiras ouvirão muitos cantos da torcida do país do futebol, que mostrará toda a sua paixão pelo esporte, através de inúmeros ingleses que lotarão os estádios.

Ao lado dos súditos da Rainha, os alemães serão muitos na Copa de 2014. E não é para menos! A seleção alemã é uma das fortes candidatas ao título, não apenas pela tradição e conquista de três copas e participação em sete finais de mundiais, mas por ser a seleção que, atualmente, é tão boa ou melhor que a Espanha.

O surgimento de jogadores ano a ano parece ter se transferido do Brasil para a Alemanha. Do goleiro, ao titular da camisa 11, sobram nomes que fazem a diferença. Afinal, alguém dispensaria o melhor goleiro do mundo, Manuel Neur; um dos melhores laterais, Philip Lahm; a elegância do meio campista Mezut Ozil; além de Bastian Schweinsteiger, Mario Gotze, Thommas Muller, Mário Gomez e mais jogadores capazes de montar outro time?

Desde a Eurocopa de 2006, apresenta um futebol envolvente e impactante. Depois do terceiro lugar em 2010, os alemães podem erguer a taça no Maracanã. Competência e eficácia não lhe faltam e um pouco de sorte pode acompanhar a Alemanha na busca pelo quarto título.

Única seleção que pode alcançar o Brasil em número de vitórias, a Itália é a campeã que mais inovou, deixando pra trás o espírito retranqueiro de jogar bola, criando esperança nos torcedores que arriscam a disputa do título frente à Alemanha e a Espanha. Conta com a simpatia e a torcida dos brasileiros para eliminar outros campeões.

A atual campeã chega como favorita à conquista do bicampeonato mundial. A Espanha faz a lição de casa desde 2008 e esbanja futebol de passes curtos, marcação eficiente e toques de bola não mais vistos pelos torcedores brasileiros. Um embate com os alemães seria inesquecível e o torcedor seria presenteado com o melhor do que se pode jogar nas quatro linhas. 

Maior campeã da história das Copas, a seleção brasileira tenta o hexacampeonato em casa. Incertezas sobre nomes que representem o time, baixo desempenho em amistosos disputados, queda nas quartas de final dos três últimos campeonatos mundiais e a vitória na Copa das Confederações em 2013, acompanham a seleção de Luiz Felipe Scolari, que volta ao comando do time depois da conquista do pentacampeonato. A ausência de nomes que façam a diferença pode custar o título ao Brasil, que espera a consagração nos pés de Neymar.  

A certeza é que os oito campeões têm história e talento para trilhar o caminho rumo ao título.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Londres em 5 músicas

Grandes capitais mundiais recebem homenagens em canções. Nova Iorque foi tema de inúmeras músicas, mas New York, New York, imortalizada na voz de Frank Sinatra, é a canção definitiva da Big Apple, cantada por nova-iorquinos e estrangeiros, inclusive na virada de ano na Times Square.  
Berço de vários artistas - do punk, do progressivo ou do eletrônico, capital mundial do pop - Londres também é homenageada em diversas músicas. Ao contrário de Nova Iorque, talvez, não tenha uma canção que a defina, que seja a mais famosa e que possa ter, ao menos, um verso cantado por qualquer pessoa mundo afora. E muitos artistas lendários do rock e do pop dedicaram um pedaço de suas obras à capital britânica ou, como diz o poeta, cidade que alguém só se cansa, quando está cansado da vida. 
Como relaciono música a vários momentos, coisas e pessoas, fiz uma lista com base em minha imagem sobre a cidade do meu coração ou a lembrança mais significativa que tenho dela ao escutar essas músicas.
The Clash – Lo…

Definitivamente talvez

O título do texto é o nome do álbum de estreia do Oasis, lançado há vinte anos, em agosto de 1994.

Vi o Oasis pela primeira vez no extinto programa da TV Gazeta, Clip Trip, ao qual assistia sempre para acompanhar os meus artistas favoritos.

Lembro do apresentador falando sobre o Oasis, antes de passar o vídeo de Supersonic, primeiro single do disco. Ele disse mais ou menos assim "esses caras estão fazendo barulho na Inglaterra e se dizem melhores que os Beatles. Sei não, vamos ver se é tudo isso e se o sucesso vai durar".

O comparativo com os Beatles era mais uma das polêmicas que os irmãos Noel e Liam Gallagher criaram e estenderam durante toda a carreira da banda. Na verdade, a influência mais clara e até o modo como se vestiam, remetia à banda de Liverpool. Mas jamais foram cópia dos Beatles, o que muitos odiadores costumam dizer. 

Aceitar isso é o mesmo que reduzir o talento do Oasis, um dos últimos representantes do rock, cingido em todo significado que a palavra expressa. …

Ah, o amado inverno! E homens: comprem ou tirem do armário os casacos e os cachecóis!

O inverno está aí desde o dia 21 de junho, mas deu as caras em São Paulo, de verdade, nas últimas duas semanas, com termômetros marcando a máxima entre 15 e 18 graus. 
São Paulo me agrada, pois o frio aparece nesse tempo, ao contrário de outras cidades do país, onde inexiste inverno, mas aqui é possível apreciar o vento, a temperatura baixa, as comidas e os doces que ficam mais saborosos nessa época, do que em qualquer outra. 
Além disso, podemos ficar mais estilosos. Botas, de cano curto ou longo, casacos de várias cores, cachecóis e echarpes de variadas estampas. 
Mulheres adoram se vestir assim, mas também há homens que abrem o guarda-roupa e ficam ainda mais charmosos com sobretudos e cachecóis. Vou fazer um pedido! Rapazes, não deixem de usar a dupla, casaco e cachecol em contados dias de junho/julho invernal. Eu, pelo menos, aprecio muito! Vocês ficam tão maravilhosos!
Certa vez, numa época dessas, estava com algumas colegas de trabalho saindo para o almoço e um homem super chique e…