Pular para o conteúdo principal
O retrato político de Washington em House of Cards!

O Netflix divulgou o trailer da segunda temporada de House of Cards, que estreará neste mês.

A primeira série criada no ambiente de internet e assistida por transmissão instantânea (streaming), mostra os bastidores da política norte-americana. Corrupção, trapaças, subornos, compra de votos, armadilhas sexuais, são os elementos que ditam a vida política em Washington D.C. 

O protagonista é o arrasador Kevin Spacey. Como Frank Underwood, deputado relegado ao cargo de Secretário de Estado para o qual foi prometido pelo Presidente eleito, arquiteta diversas manobras inescrupulosas para chegar ao poder. Se equilibra entre variadas frentes do governo e tenta obter aliados para alcançar o lugar que deveria ser dele.

Para propagar informações que serão valiosas à sua empreitada, tem o auxílio de uma jovem e ambiciosa jornalista, Zoe Barnes, interpretada por Kate Mara. Sem paciência para subir aos poucos na carreira, Zoe é a isca perfeita para Frank que, por sua vez, é um prato cheio para Zoe ser alçada à função de responsável pelos assuntos de política do renomado jornal The Washington Harold e passar à frente de colegas mais experientes e escolados na função.

Logo de cara, Zoe se insinua para Frank, que cede aos desejos sexuais da garota, a fim de ditar o que será publicado na imprensa através dela. O deslinde da história na primeira temporada mostra uma Zoe disposta a se vingar de Frank se a parceria dos dois não for mantida.

Outra mulher que tem papel decisivo na vida de Frank é a sua esposa Claire, vivida por Robin Wright. Parceira mais que perfeita, Claire procurou um homem que tem como foco o alcance do poder e Frank prometeu a ela ser um vencedor. Faz de tudo para que o marido alcance o cargo cobiçado, exigindo sucesso e ganância de Frank, sem espaço para lamentações ou fracassos. 

Como chefe de uma organização sem fins lucrativos, não mede esforços para obter verbas para o alcance de seus próprios interesses, contando com a influência e acesso do marido ao governo, mesmo que sua atitude possa prejudicar terceiros ou ultrapassar o limite da ética. 

Claire abriu mão de um amor do passado que volta em meio às crises do casal, momento em que nos deparamos com uma mulher leve, com capacidade de amar e desprendida dos desejos que a mantém ligada a Frank. A atuação em House of Cards, rendeu o prêmio de melhor atriz em série dramática do para Robin Wright no Globo de Ouro de 2014.

Além desse prêmio, House of Cards foi indicado para melhor série dramática, melhor ator em série dramática (Kevin Spacey) e melhor ator coadjuvante (Corey Stoll).

O prêmio de melhor atriz para Robin Wright não é a primeira conquista de House of Cards. Em 2013 a série levou os prêmios de melhor elenco de drama, melhor fotografia e melhor direção em série dramática com o excelente David Fincher, diretor de "Clube da Luta", "Seven" e "A Rede Social".

Estou ansiosa para a segunda temporada e pensando se Zoe e Claire continuarão aliadas a Frank. Quem será eliminado ao tentar atrapalhar os planos de Frank? As artimanhas da personagem finalmente serão descobertas?

Aguardemos por mais cenas de Frank Underwood conversando com a câmera e diretamente com o telespectador, comigo. Talvez seja a melhor atuação de Kevin Spacey, apesar de trabalhos magníficos em "Seven", "A vida de David Gale" e "Beleza Americana", sendo ganhador do Oscar de melhor ator pela interpretação no último.

Até agora Frank Underwood só foi parado por Walter White, personagem de Bryan Cranston na ótima série Breaking Bad, levando o prêmio de melhor ator em série dramática, derrotando o meu querido Kevin Spacey. 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Londres em 5 músicas

Grandes capitais mundiais recebem homenagens em canções. Nova Iorque foi tema de inúmeras músicas, mas New York, New York, imortalizada na voz de Frank Sinatra, é a canção definitiva da Big Apple, cantada por nova-iorquinos e estrangeiros, inclusive na virada de ano na Times Square.  
Berço de vários artistas - do punk, do progressivo ou do eletrônico, capital mundial do pop - Londres também é homenageada em diversas músicas. Ao contrário de Nova Iorque, talvez, não tenha uma canção que a defina, que seja a mais famosa e que possa ter, ao menos, um verso cantado por qualquer pessoa mundo afora. E muitos artistas lendários do rock e do pop dedicaram um pedaço de suas obras à capital britânica ou, como diz o poeta, cidade que alguém só se cansa, quando está cansado da vida. 
Como relaciono música a vários momentos, coisas e pessoas, fiz uma lista com base em minha imagem sobre a cidade do meu coração ou a lembrança mais significativa que tenho dela ao escutar essas músicas.
The Clash – Lo…

Definitivamente talvez

O título do texto é o nome do álbum de estreia do Oasis, lançado há vinte anos, em agosto de 1994.

Vi o Oasis pela primeira vez no extinto programa da TV Gazeta, Clip Trip, ao qual assistia sempre para acompanhar os meus artistas favoritos.

Lembro do apresentador falando sobre o Oasis, antes de passar o vídeo de Supersonic, primeiro single do disco. Ele disse mais ou menos assim "esses caras estão fazendo barulho na Inglaterra e se dizem melhores que os Beatles. Sei não, vamos ver se é tudo isso e se o sucesso vai durar".

O comparativo com os Beatles era mais uma das polêmicas que os irmãos Noel e Liam Gallagher criaram e estenderam durante toda a carreira da banda. Na verdade, a influência mais clara e até o modo como se vestiam, remetia à banda de Liverpool. Mas jamais foram cópia dos Beatles, o que muitos odiadores costumam dizer. 

Aceitar isso é o mesmo que reduzir o talento do Oasis, um dos últimos representantes do rock, cingido em todo significado que a palavra expressa. …

Ah, o amado inverno! E homens: comprem ou tirem do armário os casacos e os cachecóis!

O inverno está aí desde o dia 21 de junho, mas deu as caras em São Paulo, de verdade, nas últimas duas semanas, com termômetros marcando a máxima entre 15 e 18 graus. 
São Paulo me agrada, pois o frio aparece nesse tempo, ao contrário de outras cidades do país, onde inexiste inverno, mas aqui é possível apreciar o vento, a temperatura baixa, as comidas e os doces que ficam mais saborosos nessa época, do que em qualquer outra. 
Além disso, podemos ficar mais estilosos. Botas, de cano curto ou longo, casacos de várias cores, cachecóis e echarpes de variadas estampas. 
Mulheres adoram se vestir assim, mas também há homens que abrem o guarda-roupa e ficam ainda mais charmosos com sobretudos e cachecóis. Vou fazer um pedido! Rapazes, não deixem de usar a dupla, casaco e cachecol em contados dias de junho/julho invernal. Eu, pelo menos, aprecio muito! Vocês ficam tão maravilhosos!
Certa vez, numa época dessas, estava com algumas colegas de trabalho saindo para o almoço e um homem super chique e…